sexta-feira, 18 de junho de 2021

O Mercador de Coisa Nenhuma

Neste livro coabitam um mercador que vende bens sem preço, um gigante de ferro com um bom coração, um ciclista que deixa todos de nariz no ar, um menino que vive um milagre, um prisioneiro que dá vida às sombras, um relógio que é um tesouro e uma pedra que mostra que a vida é um círculo fechado.

Excerto
Abdul-ben-Fari, comerciante de tapetes na cidade de Abjul, vivia tranquilamente dos seus negócios, que lhe enchiam o cofre e lhe alegravam o coração. Era respeitado como um dos homens mais ricos da cidade e um dos mais felizes. Mas, num dos recantos do seu coração alegre (e não do seu cofre repleto), alojara-se um espinho de tristeza, que crescia e doía, às vezes.
Abdul-ben-Fari tinha um filho, Racib, quase um homem feito. Muito o preocupava Racib. Preocupava-o e afligia-o.
Que tristeza para Abdul-ben-Fari, quando espreitava Racib no armazém e o surpreendia sempre a bocejar. O que é que enfastiava o rapaz?

Queres saber a resposta à pergunta de Abdul-ben-Fari? Então, vem requisitar o livro.
Já esta disponível na Biblioteca!

quinta-feira, 17 de junho de 2021

Quando É Que uma Pantera não É uma Pantera?

Pantera Negra
A pantera negra é na realidade um tipo de leopardo. Os leopardos têm geralmente pelo dourado com rosetas e pintas pretas - as panteras negras têm as mesmas rosetas pretas, mas estão escondidas num fundo quase negro. Os leopardos negros pertencem à família de leopardos normais e os seus irmãos têm, geralmente, pelo amarelo. As verdadeiras panteras, também denominadas pumas ou leões-da-montanha, têm pelo castanho sem quaisquer rosetas ou pintas.

Bailey, Jacqui. (2003). Animais: perguntas e respostas. (1.ª ed.). Porto: Civilização.

quarta-feira, 16 de junho de 2021

Os Dez Anõezinhos da Tia Verde - Água

A história trata de uma dona de casa, que tudo faz para agradar o marido, tentando assim evitar as sovas diárias, justificadas pela sua falta de empenho na lide doméstica. A mulher recorre à sabedoria da vizinha, a Tia Verde Água, que lhe cede dez anõezinhos, nas suas palavras, muito arranjadores.

Excerto
Os dez anõezinhos da tia verde-água...
Era uma vez uma mulherzinha a quem uns chamavam a Manuela Não-faz-coisa-alguma, e outros a Manuela Cabeça-no-ar, por ser muito preguiçosa e distraída no governo da sua casa. Mal principiava qualquer trabalho, passava a outro; e depois a outro, e a outro, e a outro, sem acabar nenhum deles; em seguida, de repente, quedava-se a um canto como uma pateta, de mãos a abanar. Por fim, lá saía da distração para voltar a mexer-se: mas pegava, deixava, logo pegava outra vez, logo tornava a deixar...

Queres saber como termina a história? Então, vem requisitar o livro.
Já está disponível na Biblioteca!

terça-feira, 15 de junho de 2021

Como se Alimentam de Sangue os Vampiros?

Morcego-Vampiro
O vampiro é um tipo de morcego que se alimenta do sangue de outros animais vertebrados. Começa por apanhar a vítima com os seus aguçados dentes incisivos (não com os caninos) e depois com a língua enrolada em forma de tubo, suga o sangue que sai do corte. Nestes seus banquetes chega a engolir uma quantidade tal de sangue que não consegue voar.

Ruiz, C., Iñigo, T., Vara, A. (2012). Sabes Como, Quando e Onde...?. (1.ª ed.). Sintra: Girassol.

segunda-feira, 14 de junho de 2021

Pacha e o Imperador

O jovem imperador Kuzco é transformado em lama pelos poderes malignos de Yzma. A única chance que Kuzco tem de voltar para casa está nas mãos de Pacha. A amizade de Pacha ajuda o imperador a ver o mundo com outros olhos. Juntos, ultrapassam as suas diferenças enquanto embarcam numa aventura hilariante.

Excerto
Entretanto à porta da sala do trono, um camponês chamado Pacha esperava ser recebido pelo imperador Kuzco. Se Kusco era insuportável e egocêntrico, Pacha era o oposto: amável, honesto e simples. O imperador chamara-o e o camponês sentia-se angustiado e um pouco nervoso, porque não fazia ideia do que queria o seu senhor.
Quando, finalmente, o recebeu, Kuzco disse-lhe que ia destruir a aldeia em que Pacha vivia para construir uma casa de férias chamada Kuzcotopia. Pacha lançou um grito abafado, quando Kuzco destruiu a maquete da sua casa.


Este título pertence à coleção Os Clássicos da Disney.

Queres saber o que aconteceu? Então vem requisitar o livro.
Já está disponível na Biblioteca!

sexta-feira, 11 de junho de 2021

Teatro de Gil Vicente

O presente volume reúne somente quatro das quarenta e quatro produções dramáticas do poeta, mas essas quatro contam-se entre as mais características e populares que ele deixou: o Auto da Índia, primeira peça sua em que algo passa e se expõe uma situação doméstica, representada em 1509 à Rainha D. Leonor, em Almada, vila de que por essa época ela teria sido senhora; o Auto de Moralidade da Barca do Inferno e o Auto (da Barca) do Purgatório, dramas sacramentais ou «obras de devaçam», criadas em 1517 e 1518, ambos em Lisboa, por incumbência da mesma Rainha; o Auto ou Farsa de Inês Pereira, representado a D. João III no Convento de Cristo, em Tomar, no ano de 1523.
Não se inclui o Auto da Barca da Glória, quebrando assim uma tanta ou quanta unidade da pretendida «trilogia» das Barcas, por ter ido o poeta a iludi-la à partida, quando optou pela língua castelhana nesse último quadro da sua tripla composição.

Vem requisitar o livro e conhecer estas fabulosas obras de Gil Vicente!
Já está disponível na Biblioteca!

quarta-feira, 9 de junho de 2021

Os Lusíadas

Esta adaptação de Os Lusíadas conserva na íntegra as estâncias de leitura obrigatória, conforme os programas em vigor para o ensino secundário.

Excerto
Já lhes foi, como vistes, concedido, embora sendo poucos e fracos, vencer os moiros fortes e numeroso, ocupando toda a terra banhada pelo Tejo ameno. Também o Céu os favoreceu contra os terríveis Castelhanos, permitindo-lhes ser os vencedores das sangrentas batalhas. E não falo já naquelas outras vitórias antigas contra os Romanos, alcançadas sob o comando de Viriato, ou do seu sucessor, o valente Sertório: esse que adorava uma corça como deusa.
Vedes, agora, como se atrevem a maiores empresas, afrontando o mar incerto, num simples madeiro frágil, por caminhos nunca percorridos, sem medo à violência dos ventos, para descobrirem as terras de onde nasce o dia. Foi-lhes prometido...

... o que será que lhes foi prometido? Queres saber a resposta?
Então vem requisitar o livro.
Já está disponível na Biblioteca!