terça-feira, 6 de março de 2018

Perdidos na Amazónia

O filme estava prestes a chegar ao fim e eu tive a sensação que, à minha volta, a maioria das pessoas tinha já adormecido. Quanto ao meu irmão Baltas, sentado à minha esquerda, a sensação deu lugar à certeza, ao senti-lo, profundamente adormecido, acomodar-se ao meu ombro. Felizmente, só eu parecia ter dado por isso. Eu e o Simão, à minha direita, que, sem despregar os olhos do ecrã, deu sinais de vida ao fazer "shiu", como se o quase inaudível ressonar do Baltas pudesse perturbar a porcaria do filme. Este não passava de uma idiotice pegada, com aviões desenhando no céu acrobacias que me davam a volta ao estômago, ao mesmo tempo que disparavam uns contra os outros e se despenhavam, explodindo em autêntico fogo de artifício nas areias de um deserto qualquer. Pensei no Chico Banzé. Como é que ele estaria?

Este é o 4.º volume da coleção Os Super 4!

Requisita o livro e ficarás a conhecer a resposta a esta e outras perguntas!
Já está disponível na biblioteca!

Sem comentários: