sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Saúde e Meio Ambiente

A saúde está em perigo...
Como já tivemos ocasião de referir, a definição de saúde da O.M.S. diz que «o equilíbrio físico e psicológico é resultado do funcionamento harmonioso». Mas como este funcionamento é ameaçado continuamente por acidentes e doenças, algo tão valioso como a saúde pode perder-se na primeira oportunidade. Diante desta realidade e com o fito de evitar novos acidentes e novas doenças que constituam ameaça à saúde, o socorrista, além de prestar auxílio aos feridos como já tem sido explicado, tem a obrigação de influenciar a população para que cumpra uma séria de normas informando as pessoas ou fazendo por que desapareçam as causas das doenças.

Este é o 54.º volume da colecção Era uma vez... O Corpo Humano!
Já se encontra disponível na Biblioteca, vem consultar!

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

A Relíquia

«Num tempo antigo, que é outra forma de dizer era uma vez, vivia uma senhora chamada Dona Patrocínio, que era muito devota, muito dedicada a assuntos de igreja, e que tinha um sobrinho chamado Teodorico.
Ora, se não fosse a falta de cedilha no “c”, Teodorico rimaria com ouriço, e, no princípio desta história, Teodorico era isso mesmo: um ouriço, porque se fechava todo e não falava com ninguém. Mas isto foi só em criança, porque depois, como se verá pela continuação da história, ele transformou-se de ouriço em raposo, que até era o seu apelido. Ou seja, alguém não muito honesto, mesmo um pouco mentiroso, podemos dizer.»

... queres saber qual é a relíquia? Lê o livro! Já está disponível na biblioteca!

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

O Álbum de Clara

Na mesa-de-cabeceira do seu quarto, Clara tem um álbum que é uma espécie de fronteira a separar o passado do presente, e a comprometer o futuro num jogo de dores (“no corpo e na alma”) na sequência de um acidente que a ia vitimando fatalmente ao completar quinze anos.
Ao sair do hospital em cadeira de rodas, transfigurada, diminuída intelectual e fisicamente, Clara vai ter de enfrentar os colegas da escola, os amigos que julgava sinceros, os namorados que pensava eternos, os professores, os pais, os vizinhos…

Esses confrontos, mais a revolta, a incerteza, a dúvida (a entrelaçar na malha complicada dos afectos a perturbação e o medo, com a heroicidade), o desafio e o esforço constantes, para que o antes e o depois se juntem à matriz primeira e tragam aos dias instantes de felicidade, são nestas páginas admiravelmente contadas, levando o leitor a participar da vontade e da personalidade contagiante da personagem.

Este livro já está disponível na Biblioteca!

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Frei Luís de Sousa

«Esta é uma História triste, mas às vezes, as histórias tristes são as mais belas e também aquelas que mais tempo teimam em demorar-se na nossa memória. 
Àqueles que gostam de perguntar, no princípio de uma história oi de um filme, “Quem é o herói?”, apetece responder que há, neste relato, vários heróis mas que o principal, bem vistas as coisas, dá pelo nome de Portugal, como mais adiante se há-de ver, pois é de um país do seu destino que acabaremos por falar. 
Comecemos pelo princípio, e esse princípio foi no ano de 1578. Era então rei de Portugal um jovem de nome Sebastião, de cabelos loiros e olhar incendiado por sonhos de glória que o acompanhavam desde a infância.»

Queres saber quem é o "herói"? Vem requisitar o livro que já se encontra na biblioteca!

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

O Esqueleto

O esqueleto, base do movimento
Todos os seres vivos, e o homem não é excepção, precisam relacionar-se com o meio ambiente que os rodeia. Para isso, os animais conseguem deslocar-se - mover-se - até aquilo que lhes interessa. No caso do homem, os seus sentidos levam-no a um conhecimento consciente da realidade à sua volta e que ele alcança porque pode deslocar-se.
Como se produz o movimento? Pela acção conjunta dos músculos e do esqueleto. Este último, formado por uma série de peças duras e resistentes (os ossos), suporta o nosso organismo e vê-se obrigado à acção pelo movimento de contracção e relaxamento dos músculos que obedecem às ordens ditadas pelo cérebro. Os ossos dão, pois, consistência e forma ao nosso corpo, e graças à sua união com os músculos actuam como alavancas, possibilitando os seus movimentos. São facilmente detectáveis. Ao tocarmos nos nosso braços e cabeça, notamos logo a armação dura dos ossos que além do mais, servem de protecção aos órgãos moles e delicados como o fígado, o cérebro e os pulmões.

Este é o 9.º volume da colecção Era uma vez... O Corpo Humano!
Já se encontra disponível na Biblioteca, vem consultar!

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

O Ombro de Claúdia

Pela adolescência de Cláudia cruzam-se outras adolescências, transportando consigo os habituais problemas e preocupações, mas também os mesmos sonhos e esperanças. Sendo exactamente nesta fase da vida, em que a atenção e o amor dos pais mais falta faz, a jovem passa por um momento difícil em que este amor parece ser insuficiente. A mãe de Cláudia volta a receber em casa um antigo companheiro que tinha estado no estrangeiro e, com o regresso deste, começam a manifestar-se sintomas estranhos na adolescente. Para poder ser ela própria, ter as suas opiniões, até manter os amigos, terá de enfrentar uma espiral de intolerância, fanatismo religioso e de incredulidade que parece querer anular a sua identidade e a sua vida. E a doença inexplicável que a assola é mais um factor de preocupação para todos.

Este livro já está disponível na Biblioteca!

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

As Plaquetas

A importância do sangue
Em várias ocasiões temos falado na importância do sangue que, como muito bem sabes, é o meio de transporte através do qual o oxigénio e as substâncias nutritivas chegam às células do nosso corpo. Além disso, está encarregado de transportar todas as substâncias prejudiciais para o nosso organismo até aos órgãos que têm a capacidade de as expulsar para o exterior. Não devemos esquecer que é também o meio onde se encontram os anticorpos e onde as glândulas endócrinas vertem as suas hormonas.
Enfim, são tantas e tão importantes as funções do sangue no corpo humano que enumerá-las seria uma tarefa longa.

Este é o 26.º volume da colecção Era uma vez... O Corpo Humano!
Já se encontra disponível na Biblioteca, vem consultar!

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Sermão de Santo António aos Peixes

«Falando aos padres, disse-lhes Cristo Nosso Senhor: 
- Vós sois o sal da terra. 
Chamou-lhes assim porque quis que eles fizessem na terra o mesmo que faz o sal aos alimentos, que é impedir que estes se estraguem. 
Mas quando a terra está tão estragada como a nossa, de quem é a culpa? Ou é porque o sal não salga, e os padres não pregam a verdade e dizem uma coisa e fazem outra, ou é porque a terra se não deixa salgar, e os ouvintes não querem ouvir a verdade, mas só fazem o que lhes apetece.»

... queres saber a resposta? 
Vem à biblioteca requisitar o livro! Já está disponível!

terça-feira, 19 de outubro de 2010

A Morgadinha dos Canaviais

«Numa tarde chuvosa de Dezembro, três figuras subiam por uma estrada estreita. O vento e a chuva batiam - lhes na cara, encharcando – os até aos ossos. O Primeiro era um homem que andava de terra em terra a levar encomendas, o que antigamente se chamava de almocreve. Estava habituado a andar muitos quilómetros a pé, por isso dava grandes passadas como se estivesse um dia maravilhoso e não um tempo de nuvens escuras à briga por cima da sua cabeça. A segunda figura era uma mula que, coitadinha, também estava habituada a andar para cá e para lá, carregada com toda a espécie de coisas. Como, por exemplo, o homem que levava em cima, o terceiro elemento deste grupo de viajantes. Chamava- se Henrique de Souselas.»

... queres saber mais? Vem requisitar o livro! Já está disponível na biblioteca!

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Futurismo

O Futurismo não é apenas a primeira contribuição italiana para o modernismo europeu, é ao mesmo tempo um dos seus principais impulsionadores. Desenvolvido com a reacção às tendências naturalistas e historicistas do século 19, desafia-as com uma imagem do mundo, radical, dinâmica e orientada para o futuro.

Em Fevereiro de 1909, Filippo Tommaso Marinetti publicou o primeiro Manifesto Futurista no jornal francês Le Figaro.

Queres saber mais sobre este movimento artístico?
Então vem ler este magnífico livro da Taschen!
Já está disponível na Biblioteca!

«A arte do passado é um absurdo, que se baseia em princípios morais, religiosos e políticos. Só na arte futurista a arte se revela verdadeiramente.»
Carlo Carrà

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Águas de Verão

Águas de Verão é uma curta viagem ao passado. A narradora recorda a sua infância e a vida no seio de uma família muito tradicionalista, formal. Um dos romances mais poéticos de Alice Vieira, esta narrativa mostra como as ideias de respeito e de bom comportamento podem inquinar a alegria de viver, se impostas de forma rígida e como simples convenções. Apesar disso, os vários irmãos desta família problemática acabam por descobrir o sabor da alegria e o prazer do divertimento na personagem de um saxofonista bem-humorado com quem travam conhecimento num hotel de termas.

Queres saber mais sobre a história? Então vem requisitar o livro!
Já está disponível na Biblioteca!

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Prevenir as Doenças I

Quando é que estamos doentes?
As pessoas que conseguem desempenhar as sua actividades diárias com desenvoltura, que desenvolvem os problemas com decisão, têm projectos e vivem plenamente satisfeitas, são, sem dúvida, pessoas saudáveis. Uma situação normal é aquela em que o trabalho, o descanso e o ócio se sucedem de forma natural e equilibrada. Quando este ritmo se quebra, por um motivo qualquer, dizemos que estamos doentes. A doença é a perda do estado saudável. As pessoas afligidas por uma doença não conseguem realizar as suas tarefas quotidianas com normalidade e o seu estado físico fica alterado. Deve-se, então, tomar medidas para recuperar a saúde.

Este é o 40.º volume da colecção Era uma vez... O Corpo Humano!
Já se encontra disponível na Biblioteca, vem consultar!

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

A Cidade e as Serras

«Eu chamava ao Jacinto o Príncipe da Grã-Ventura, não porque fosse membro de qualquer família real, mas por gozar de boa saúde, ser jovem e bem parecido, além de dono único de uma enorme, enormíssima fortuna. Vivia o meu amigo num palacete dos Campos Elísios, no centro de Paris, rodeado de criados e servido pelo sempre fiel Grilo, um velho mordomo preto, sorridente e silencioso que lhe preparava os banhos em água perfumada, o ajudava a vestir-se e de tudo cuidava para que nenhuma contrariedade prejudicasse o prazer dos seus dias. Nós éramos como irmãos desde o tempo de estudantes, e eu sempre admirara nele a naturalidade com que gozava as delícias da civilização. Jacinto era um ardente defensor dos progressos técnicos e das comodidades da grande capital. Fora dos primeiros, em Paris, a instalar a luz eléctrica e o telefone, raridades que, neste final do século XIX em que escrevo, ainda espantavam o mundo.»

... queres saber mais? Vem à biblioteca requisitar o livro!

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Vieira da Silva

«Vieira nunca frequentou a escola. Foi instruída em casa, onde,  a partir de 1919, começou a estudar três novas disciplinas - Música, desenho e Pintura. Desde o início, a música exerceu uma forte atracção sobre a criança, que chegou a fazer as suas próprias composições: Felizmente desisti, não era dotada para a música. Mas nesta época algo tomara forma em mim. Fui fiel à pintura, mas por natureza gosto mais da música. Dá-me um prazer maior. Mas só na pintura se pode superar a falta de talento

Vem folheá-lo, ler, ver as pinturas, admirar os traços, as cores...!
O livro já está disponível na biblioteca!

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

O Coelhinho Tremeliques

Tremeliques, um jovem coelhinho, acaba de descobrir que os seus pais, a vaca Mil-Folhas e o cavalo Caniço, não são seus pais biológicos.
A sua reacção não é a melhor, mas, no fim, todos percebem que para pertencer a uma família não é preciso ter nascido da barriga da mãe.

Uma história comovente, que, de forma ternurenta e sensível, quebra barreiras para abordar um tema da vida real.

O livro espera por ti na Biblioteca!

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

As Prendas de Anos

O Coelho e o Ouriço não sabem quando fazem anos. Por isso decidem festejar os anos já amanhã. Mas o que hão-de dar um ao outro de prenda? Ambos encontram a solução perfeita — mas não pelas razões que tinham imaginado...

A primeira história do Coelho e do Ouriço, Um Bocadinho de Inverno, já editada nesta colecção, foi publicada com grande êxito em dez países.

O livro já está disponível na Biblioteca!

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Pollock

Paul Jackson Pollock foi um pintor norte-americano e referência no movimento do expressionismo abstrato.

«Jackson Pollock nasceu a 28 de Janeiro de 1912, na pequena cidade de Cody no Wyoming. Era o mais novo de cinco irmãos, e as condições domésticas da família de Pollock eram simples. A personalidade do rapaz foi decisivamente influenciada por uma série de mudanças de residência, as ausências cada vez maiores do pai e o carácter dominante da mãe.»

Vem folheá-lo, ler, ver as pinturas, admirar os traços, as cores...!
O livro já está disponível na biblioteca!