terça-feira, 28 de junho de 2022

Os Barcos a Vapor

Os Barcos a Vapor! Facto ou Ficção?
Barco a vapor de Robert Fulton, Clermont
Os barcos a vapor foram inventados por um jovem norte-americano de nome Robert Fulton. Inspirado pelo motor a vapor de James Watt, Fulton era ainda adolescente quando começou a aplicar as ideias de Watt a uma gaivota.

Reconstituição do "Nautilus", o submarino de Napoleão
O primeiro teste foi um falhanço, pois o barco afundou-se, mas isso não o impediu de perseguir o seu sonho. Acabou por desenvolver o submarino Nautilus de Napoleão Bonaparte!

Ditosamente, isto é um facto!

Ripley, Ben. (2012). Bizarro! Facto ou ficção: invenções. (1.ª ed.). Alfragide: Texto Editores.

segunda-feira, 27 de junho de 2022

Vissi D'Amore. Diário do Barão Scarpia

A ópera de Puccini elevou a história da Tosca à categoria de mito. Paola Capriolo inspirou-se nesse tema para uma variação livre em que, apesar de manter inúmeros pontos de contacto com a trama original, subverte profundamente as motivações, a evolução interior e o próprio carácter dos protagonistas.
Quem narra os acontecimentos na primeira pessoa, com acentos ora dramáticos, ora irónicos, é o mau, o barão Scarpia, burocrata da tortura e cultor de especulações teológicas, carniceiro e vítima, companheiro de Tosca numa descida aos infernos na qual Eros (ou uma qualquer forma de Eros) revela ser irmão do fascínio pelo aniquilamento.
Daí resulta uma bizarra história de amor.

Este é mais um título da coleção Letras do Mundo.

Ficaste curioso com o tema? Então, vem requisitar o livro.
Já disponível na Biblioteca.

sexta-feira, 24 de junho de 2022

Como Água para Chocolate

Neste romance surpreendente e admirável, que revelou ao leitor português uma grande escritora mexicana, toda a trama narrativa roda em torno da cozinha e de um certo número de elementos culinários. Cada capítulo abre com uma receita fora do comum (mas ao mesmo tempo perfeitamente realizável), a pretexto em volta da qual não apenas se juntam os comensais, mas também se “cozem” e “temperam” amores e desamores, risos e prantos, e se celebra o triunfo da alegria e da vida sobre a tristeza e a morte.
Através dos amores proibidos de Tita e Pedro, Laura Esquivel retrata-nos o México rural dos princípios deste século e tece um hino inesquecível ao prazer dos sentidos e à liberdade criativa da mulher.

Este título faz parte da coleção Leituras do Mundo.
Já está disponível na Biblioteca!

quinta-feira, 23 de junho de 2022

Quem Foram George e Robert Stephenson?

Lanterna de Segurança para Mineiros
George Stephenson, embora não tendo sido o inventor da locomotiva de caminho de ferro, foi o responsável pelo seu êxito. Nasceu em Wylam, perto de Newcastle-on-Tyne, em 9 de Junho de 1781, filho de um mecânico, tornando-se maquinista em 1812. Em 1815 inventou uma lanterna de segurança para mineiros (ao mesmo tempo que uma outra inventada por Sir Humphrey Davy).
Foi depois engenheiro do Stockton and Darlington Railway em 1823 e responsável pela construção do Liverpool and Manchester Railway inaugurado em 1830. Stephenson morreu rico e famoso com a idade de 67 anos, em 1848.

Locomotiva Rocket
O seu filho, Robert Stephenson, nasceu em 1803 e trabalhou com o pai. Conduziu a locomotiva Rocket (inventada e desenhada por seu pai) nas experiências de Rainhill em 1830. Um dos grandes engenheiros do seu tempo, Robert Stephenson foi membro do Parlamento durante um ano e morreu milionário em 1859.

Beal, George. (1977). Primeiras perguntas sobre os comboios. (1.ª ed.). Lisboa: Formar.

quarta-feira, 22 de junho de 2022

No Silêncio da Noite

O comissário Guido Brunetti vê a sua vida subitamente alterada quando se depara com elementos religiosos bastante inquietantes. Durante um almoço familiar, Brunetti descobre que o professor de Educação Religiosa da sua filha Chiara, que também é sacerdote, tem um comportamento muito pouco adequado. Ao mesmo tempo, o comissário recebe a visita de Maria Testa, a Suor' Immacolata, que conhecera em Vestido para a Morte. Maria desaparecera há um ano do lar de terceira idade, onde cuidava da mãe de Brunetti e regressa a Veneza para participar as suas suspeitas acerca das estranhas circunstâncias da morte de cinco idosos que viviam nesse lar. Brunetti vê-se envolvido numa nebulosa investigação dominada por poderes ideológicos que estão acima de quaisquer suspeitas.

Excerto
Se a herdeira do conde Egidio Crivoni estivesse à porta à espera deles a voz que atendeu o toque da campainha não viria mais depressa. Com a mesma prontidão, a porta maciça abriu-se com um estalido quando Brunetti explicou que viera informar-se acerca da herança do conde Crivoni. Subiram dois lanços de escada e depois mais dois; Brunetti fiou admirado por haver apenas uma porta em cada patamar, indicação de que cada apartamento ocupava todo um piso e isso, por sua vez, um sinal da fortuna dos moradores.
Mal Brunetti pôs o pé no último patamar, um mordomo de fato preto abriu a única porta diante deles.

O que será que aconteceu aos cinco idosos? Curioso? Então vem requisitar o livro.
Já está disponível na Biblioteca!

terça-feira, 21 de junho de 2022

O Que É um Cob?

Cavalo Cob
A palavra “cob” descreve um cavalo forte, sólido, atarracado, com pernas curtas, capaz de transportar cavaleiros pesados. Não é uma raça, mas sim um tipo. Estes cavalos encontram-se em várias partes da Inglaterra e da Irlanda, sendo um exemplo típico o Welsh Cob. É de origem muito antiga e é usado tanto como cavalo de arreio como cavalo de corrida, embora tenha sido usado também em todos os trabalhos leves do campo. É fácil de montar, galopa e salta bem, sendo também bom na água. Encontra-se este cavalo em várias cores e mede entre 14,2 e 15,1 mãos. Existe também o Welsh Pony do tipo Cob, que é um animal idêntico mas mais pequeno, medindo 13,2 mãos de altura. A Irlanda produz excelentes Cob, existindo um tipo conhecido como IrishCob. Este tem vindo a ser reproduzido nos campos da Irlanda e mede 15,2 mãos de altura.

Beal, George. (1979). Primeiras perguntas sobre os cavalos. (1.ª ed.). Lisboa: Formar.

segunda-feira, 20 de junho de 2022

Mentiras de Silêncio

O enredo gira em torno de Michael Dillon, um cidadão comum que vai se separar de Moira, uma mulher anoréxica, casar-se com Andrea e deixar uma Belfast assolada pelo terror. Mas uma bomba do IRA estremece os projetos de vida que ele tão carinhosamente acalentara. Michael talvez seja obrigado a deixar no anonimato dos capuzes os rostos de terroristas que ameaçam a sua própria vida. Mas não estaria ele a consentir em mais derramamento de sangue? O que fazer quando até mesmo o silêncio está repleto de perigosas mentiras?...

Excerto
Às nove menos um quarto, na altura de largar o trabalho, Dillon desceu até à receção para verificar a escala de pessoal para o dia seguinte. Duas das seis mulheres que costumavam vir para os pequenos-almoços estavam de baixa e por isso, de manhã, o serviço de quartos teria menos pessoal. Disse a Eileen, a empregada da caixa, que pedisse a Duffy para fazer alguns telefonemas e tentar encontrar substitutas. Mas seria trabalho em vão. A seguir, dirigiu-se ao átrio e trocou algumas palavras com Collis, o encarregado dos banquetes.

Queres conhecer o percurso de vida de Michael Dillon? Então requisita o livro.
Já está disponível na Biblioteca!